Vovó Elisa e tip, tap miau!

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014
– Xiii… Mas o que é isto, não tem vergonha...?
– O quê Vovó Elisa, do que está a falar...?
– Eh menina, é horrível sair para caminhar e encontrar o xixi e o cocó das pessoas no caminho, no campo e até perto dos rios onde a gente vem para tomar banho, lavar a roupa, ou simplesmente a desfrutar da paisagem. A gente tem de saber que isso é muito desagradável para além de perigoso.
– Pois Vovó... é verdade, eu também não gosto. Na escola, o professor disse que isso traz muita contaminação.
– Isso é verdade, as pessoas precisam aprender a evitar estas coisas, mas vamos começar por partilhar uma história que vai nos ensinar a ser mais limpos. Vai lá e chama os teus amiguinhos para eu vos contar a história...

E eu, Vitória… saí a correr à procura dos meus amiguinhos. Não tardamos em voltar, porque adorávamos os contos da Vovó Elisa.

– Estão prontos meninos? Vou lhes contar uma história que fala dos bons hábitos de limpeza que tem o gato. Se todos conseguíssemos ser como ele, nunca iriamos ter infecções nem epidemias na nossa aldeia. Todos a repetir comigo...

Tip, tap miau!

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014
Tip-tap, tip-tap,
Miau! Sou o gato malhado
que não gosta nada dos descarados,
que fazem xixi e cocó por todos lados.
Tip-tap, tip-tap,
Miau! Aqueles que vão com pelos penteados,
com seus amos muito exaltados,
mexendo a cauda, saltando, latindo,
fazendo e cheirando,
cocó e xixi por todos lados.
Miau! Orgulham-se do seu sangue,
mas não sabem conviver.

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014
Tip-tap, tip-tap,
Miau! Que vergonha deveriam sentir
é fácil fazer um buraco na terra
para esconder o cocó e o xixi.
Pergunto-me por que o fazem?
Senão eles e suas crias podem morrer
se por acaso se contaminassem.
Miau! Eu acho melhor respeitar,
a ordem, a limpeza e a pureza
do nosso próprio lar.

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014
Tip-tap, tip-tap,
Miau! E este tip-tap,
é a minha alegria mais importante,
porque mesmo sendo um gato,
gosto de beber água limpa e de tomar banho.
Adoro o tip-tap, porque ajuda-me a evitar,
ficar doente ou contaminado.
Tip-tap com água e sabão,
com cinza pode ser uma boa opção.

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014
Tip-tap, tip-tap,
Miau! Sou o gato malhado
que não gosta de lixo, de mau cheiro,
nem de cocó nas ruas e nos campos.
Miau! Prefiro a limpeza, a ordem,
e ser um bom gato cidadão.

RESULTADOS: Água, Higiene e Saneamento com o apoio do UNICEF

Realizada a primeira Conferência Nacional de Saneamento, de carácter multissectorial, em Maio de 2014, sob a liderança do Governo de Moçambique (cinco Ministérios envolvidos na organização), onde se concordou em eliminar o fecalismo a céu aberto até 2025, e garantir o acesso universal à água e ao saneamento seguro até 2030.

Sob a liderança da Direcção Nacional de Águas, o UNICEF apoiou o processo de avaliação a escala nacional das comunidades livres de fecalismo a céu aberto (LIFECA). Em 2014, um total de 872 comunidades foram certificadas livres de fecalismo a céu aberto, das quais 396 são comunidades com 100% de latrinas familiares melhoradas. Com este resultado, o país conta com cerca de 2.500 comunidades LIFECA ou seja cerca de 10% das comunidades existentes estão livres de fecalismo a céu aberto.

Capacitação dos parceiros do Governo para a provisão de serviços de qualidade de água, higiene e saneamento, através do apoio na formação, no recrutamento de novos funcionários, e planeamento distrital em 12 distritos na Zambézia, 5 distritos em Sofala, 4 distritos em Tete, 4 distritos em Manica, e 1 distrito e 1 município em Nampula. Em 2014, foram formados 131 técnicos do Governo e parceiros implementadores, ao nível decentralizado, na promoção de saneamento, higiene e sustentabilidade; 10 artesãos formados na produção das componentes de latrinas melhoradas e 11 técnicos do Governo na gestão dos recursos financeiros.

De 2012 a 2014 foram desenvolvidos, com o apoio do UNICEF, Planos Directores de Saneamento em cinco vilas (Ribáuè, Rapale, Mecuburi, Monapo e Namialo) os quais forneceram ao governo local, orientações e recomendações sobre a organização dos serviços de água e saneamento nas vilas, na promoção e regulação do saneamento familiar e institucional, gestão de lixo e identificaram as actividades chave a serem implementadas a curto, médio e longo prazos assim como os recursos humanos e o orçamento necessários para a melhoria da situação do saneamento em cada vila até 2025.

Desde 2012, UNICEF apoiou para que 80 mil alunos das escolas primárias tenham acesso às infraestruturas melhoradas de abastecimento de água e saneamento em 20 distritos nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Tete, Manica, Sofala e Gaza. As realizações de 2014 incluem infraestuturas de abastecimento de água em 50 escolas primárias de distritos das províncias de Tete, Manica, Sofala e Gaza, atingindo 19 mil alunos. Infraestruturas de saneamento em 82 escolas primárias de 13 distritos (Angoche, Monapo, Namialo, Rapale, Angónia, Macanga, Changara, Guro, Manica, Gondola, Sussundenga, Buzi e Chibuto), atingindo 59.063 alunos; 109 escolas livres de Fecalismo a Céu Aberto em 15 distritos, beneficiando 67.156 alunos (em Angónia, Macanga, Chiuta, Changara, Guro, Macossa, Manica, Gondola, Sussundenga, Machaze, Buzi, Nhamatanda, Gorongosa, Caia e Gorongosa).

Em 2014, mais 74.100 pessoas que vivem em zonas rurais de Tete, Manica e Sofala tiveram acesso melhorado à água através da construção de 109 fontes de abastecimento de água.

Um total de 246.200 pessoas dos quais 96% vivendo nas áreas rurais tiveram acesso ao saneamento melhorado em 2014 com apoio directo do UNICEF. Cumulativamente (2012-2014), 826 comunidades em 15 distritos de Sofala (Cheringoma, Nhamatanda, Caia, Buzi, Gorongosa), Tete (Changara, Chiuta, Macanga, Angonia), Manica (Guro, Macossa, Gondola, Manica) Zambézia (Gilé, Gurué), que representa uma estimativa de 22% de todas as comunidades desses distritos foram certificadas como tendo alcançado o estado de livre do fecalismo a céu aberto.

Na província de Nampula, vila de Ribáuè, no âmbito da parceria com o Governo para a aceleração da implementação do modelo do quadro de gestão delegada às vilas, foi inaugurado, com o apoio e assistência técnica do UNICEF, o sistema de abastecimento de água capaz de abastecer até 27 mil pessoas, e foi providenciado o acesso ao saneamento melhorado a 15.730 residentes das vilas de Ribáuè e Rapale. Um acordo no valor de 10 milhões de Euros foi assinado entre a União Europeia (9.000.000) e o UNICEF (1 milhão) para uma intervenção semelhante no domínio de abastecimento de água na província de Inhambane.


LER A SEGUIR: VITÓRIA HEROÍNA DA ALDEIA