Conselhos da Vovó Elisa

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014
Xiii, mas que bom... há muito que não lia um artigo tão bom no jornal. Parece que a vida das crianças em nosso país tem melhorado bastante nos últimos tempos. Claro, ainda há muito por fazer, mas já vemos progressos.

Mas o que é que está a dizer Vovó Elisa... o que está a ler?

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014 Menina, neste jornal está um resumo de um estudo sobre a situação das crianças no país. É bom porque fala daquilo que está bem mas também daquilo que ainda é preciso fazer.

Epá Vovó... conta lá o que diz o artigo para eu ver se é verdade...

Bom, por exemplo, algumas coisas que estão bem é que há mais crianças nas escolas a estudar, também há mais professores nas escolas e muito mais crianças estão a dormir debaixo de redes mosquiteiras, por isso há menos crianças a morrer por causa da malária. Outra coisa positiva é que mais crianças estão a receber tratamento para o HIV/SIDA e também vacinas para muitas doenças. Tudo isso está no jornal...

É verdade Vovó? Mas que bom! E o que diz das coisas que estão mal?

No artigo eles chamam de desafios, porque ainda há muita criança que não chega a completar a escola ou que acaba sem aprender muito quando lá está. Muitos Centros de Saúde não tem enfermeiras e médicos suficientes e muitas raparigas casam-se antes dos 18 anos. Senti um pouco de vergonha ao saber que ainda há muitos moçambicanos que usam o mato como casa de banho.

Xiii... algumas dessas coisas acontecem aqui na nossa comunidade...!

Pois é, menina Vitória, é preciso ter essas informações para saber o que fazer. Para resolver muitas delas é necessário dinheiro, ou como dizem, investimento. É por isso que é importante que os nossos líderes, os governantes, façam bom uso do dinheiro público, aquilo que chamam de orçamentos.

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014 Mas então é o Governo que tem de fazer isso?

Sim, é sua responsabilidade, eles são eleitos pelo povo para representar a todos, do mais velho ao mais novo, do mais rico ao mais pobre. O Governo deve trabalhar para que a vida de todos no país melhore e para que haja progresso.

Progresso... como muitos prédios e estradas novas?

Também, mas o verdadeiro progresso não se mede pelos prédios que se constroem, mas sim pela qualidade das pessoas que neles habitam. Olha menina, por acaso achas que as pessoas estão saudáveis? Têm educação? Estão protegidas contra a violência? Têm água limpa para beber? Podem dizer o que pensam? É importante que todos nós saibamos destas coisas. Temos que saber como está a nossa gente, principalmente as nossas crianças, que são a maioria em nosso país.

Mas o que tem a ver o "orçamento" com isso?

Escuta menina, é importante verificar estas coisas, saber como o Governo decide gastar o dinheiro que tem para desenvolver nossas comunidades. A sério menina... tem que ser assim. Moçambique é uma nação muito grande e as vezes as pessoas moram em lugares que são muito difíceis e onde a vida é dura mesmo.

Xiii como a família do Zé...!

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014 Pois... como o Zé. Há muitas crianças que morrem antes de completar cinco aninhos, por causa de doenças e falta de cuidado, é para lá que os olhos dos nossos líderes têm que virar. Muitas crianças, mulheres e adultos têm que caminhar quilómetros para chegar à uma escola ou ao centro de saúde e muitas vezes quando lá chegam faltam materiais, ou eletricidade ou pessoal.

Espera Vovó, espera... mas como é que sabemos de todas essas coisas? Sobre como estão as crianças do nosso país e como o Governo gasta seu dinheiro para resolver os problemas delas?

Não sei menina! mas acho que as vezes o Governo faz pesquisas para perguntar às famílias como elas estão. Lembras-te de quando veio uma pessoa aqui em casa, com um uniforme e uns papéis, e nos fez várias perguntas sobre a nossa família, saúde, se tínhamos estudado e coisas assim! Eu sei que o Governo faz pesquisas sobre várias coisas, e assim juntam muitas informações sobre como vivemos e sobre a nossa situação. Por exemplo, se tivesses que cuidar da nossa comunidade mas não soubesses como as pessoas estão e quais são os seus principais problemas. Não irias saber nem por onde começar, não.

É verdade Vovó, estou a perceber, seria difícil saber quem precisa do quê... acho que nem saberia como usar o meu dinheiro.

É por isso mesmo que o Governo tem que olhar para todas essas informações, ver onde estão os principais problemas dos moçambicanos, olhar que tipo de problemas são, para então decidir como agir. O Governo faz planos para isso, e precisa do orçamento para realizá-los. Mas é importante que nós também saibamos dos problemas e falemos com o Governo para que gaste bem o nosso dinheiro.

Então mais do que construir e melhorar os prédios, é melhor usar o dinheiro para melhorar a educação e a saúde das pessoas e das crianças?

Bom menina, para desenvolver um país são necessárias as duas coisas, é bom melhorar também as nossas infraestruturas...

Desculpa Vovó, o que é infra...truc... desculpa, infraestutura?

Relatório Anual do UNICEF Moçambique 2014 Perfeito! Infraestrutura são as construções que se fazem para melhorar o nosso país, porque para além dos prédios que Relatório Anual 201459podem se ver, há também hospitais e escolas que estão a ser construídos e que são importantes para todos. Mas tens razão, o nosso país precisa de mais médicos e enfermeiras, mais professores e alunos, mais especialistas que possam dar atenção às crianças. Tudo isso não pode ser de qualquer jeito, tem que ser com pessoas realmente qualificadas, senão será um investimento que não rende nenhum benefício.

Xiii... quer dizer que não é só ter o dinheiro, mas também a sabedoria para o gastar de uma maneira que sirva para melhorar as nossas vidas hoje, amanhã e muito depois...

Pois menina já estás a perceber, e gosto de como estás a pensar. Não é só hoje... e não podemos esperar para investir nas crianças.

Xiii verdadeiro orgulho moçambicano! Sabe Vovó? Deveria ter gravado a nossa conversa para passar na Rádio Comunitária.

Ah menina! eu na Rádio...? Sei lá. Já estou velha para isso... É melhor que tu saibas das coisas que são importantes para pensar e discutir com os teus amiguinhos... se tu quiseres vai à Radio, mas eu fico cá!

A Vovó e eu ficamos a sorrir.

 

RESULTADOS: Políticas Sociais, Monitoria e Avaliação com o apoio do UNICEF

Foi realizada, em estreita colaboração com os parceiros do Governo, uma análise actualizada e abrangente sobre a Situação das Crianças em Moçambique (SITAN). O relatório contém informações sobre a vida das crianças no país, e está a ser usado como uma ferramenta importante na advocacia para a priorização das crianças. Um trabalho exaustivo de cálculo dos custos das intervenções no sector social e espaço fiscal para o investimento na área da Saúde, Educação e Protecção Social foi desenvolvido como base para a advocacia junto aos parceiros para a canalização de maiores e melhores investimentos focalizados nas crianças.

O UNICEF contribuiu para o debate sobre o investimento em crianças através da produção de Informes Orçamentais dos Sectores Sociais, que são concisos e simplificados. Estes resumos analisam a evolução do orçamento da Saúde, Educação e Protecção Social (o último feito em colaboração com a OIT).

Tem sido providenciado apoio a nível central e descentralizado ao Ministério da Economia e Finanças (Direcção Nacional do Orçamento e à Direcção Nacional do Planificação), para o reforço das capacidades na elaboração do orçamento e nos princípios de Gestão Baseada em Resultados (RBM). Os funcionários do Governo a nível central, provincial e distrital foram formados, tendo sido dada especial atenção às províncias de Tete e Zambézia.

Na área da promoção da Política Pública Baseada em Evidências, foi providenciado apoio para o Instituto Nacional de Estatísticas e Escola Nacional de Estatísticas para a actualização e disseminação das Estatísticas Territoriais, que é um sistema descentralizado de análise de dados destinado a servir como a principal base de dados a nível nacional, que incorpora estatísticas desagregadas a nível distrital actualizadas a cada seis meses. Foi providenciado apoio focalizado às províncias da Zambézia e Tete com a provisão de formação em serviço para os técnicos de estatísticas, para aprimorar a qualidade da recolha de dados e consequente análise a nível distrital.


LER A SEGUIR: APRENDER SOBRE EMERGÊNCIA